Chega ao fim a Fase 1 – Devagar e Sempre

Fim da Primeira Fase do Projeto Lia Caldas 4.0

Os objetivos do Projeto Lia Caldas 4.0 são grandiosos: mudar completamente a vida de alguém que se descuidou de si mesma por anos e anos e que estava completamente sedentária há pelo menos 3. Por isso, paciência e moderação são muito importantes.

Resultado da Fase 1 do Projeto Lia Caldas 4.0

Em dois meses e meio, eliminei 7,5 kg. Eu poderia ter eliminado mais, se fosse mais radical, mas optei por um caminho mais devagar e mais saudável.

Princípios em lugar de metas

Na primeira fase do meu programa de emagrecimento, que ganhou o nome Fase 1 – Devagar e Sempre, não havia metas numéricas, mas sim princípios gerais que iriam reger minha vida dali pra frente. A ideia era transformar em hábito a prática de atividade física e a alimentação saudável e vejo que esse objetivo foi atingido.

Nos últimos dois meses e meio, fui incluindo exercícios no meu dia a dia sem me cobrar muito, respeitando meus limites tanto físicos quanto emocionais e psicológicos, e com isso fui aceitando a atividade física como parte da minha vida. Para você que é uma pessoa ativa, talvez até um atleta, a frase anterior pode parecer estranha, mas quem está sedentário há muito tempo, como eu estava, sabe do que estou falando.

Quando você fica muito tempo parado, é difícil recomeçar. Doí o corpo, as articulações, o exercício é desconfortável, é difícil, é chato. Além disso, você já se acostumou a dedicar as 24 horas do seu dia para outras coisas, então vai ter que arrumar um tempo para acrescentar a atividade física.

Lia Caldas na bicicleta ergométrica

Pedalar foi uma das bases da primeira fase. Com uma bicicleta ergométrica em casa, eu não tinha desculpas para não malhar. Mesmo assim, eu demorei algum tempo com ela no meio da sala até realmente começar o Projeto Lia Caldas 4.0.

Os ativos agora devem estar pensado: “uma horinha só por dia não é nada!”, mas isso não é verdade. Quem está sedentário e quer começar a se exercitar tem que acreditar que vale a pena tirar um tempo de alguma coisa do seu dia para dedicar a essa novidade. Tratar essa realidade como se não fosse nada não ajuda a situação. Uma hora por dia significa algo entre 20-26 horas por mês. Isso é um tempo considerável!

Programa ideal de exercícios é aquele que você cumpre

Para mim, o segredo foi a moderação. Ao invés de montar um programa idealizado, eu me permiti que o tempo de exercício fosse variado, de forma que eu não me sentisse culpada se um dia eu só pudesse/quisesse dedicar apenas 15 minutos a isso. Isso foi muito importante, pois para mim a culpa sempre teve um efeito devastador. Se tivesse me obrigado a malhar no mínimo uma hora por dia, no dia que eu não conseguisse isso, eu me sentiria um fracasso.

Em alguns dias eu malhei por apenas 30 minutos, em outros cheguei a 2 horas. Teve dia em que eu nem sequer malhei porque esqueci do Projeto Lia Caldas 4.0, vê se pode (!), mas não fiquei me atormentando por isso. Cada dia era um novo dia, sem estresse, sem culpa.

Aos poucos, o tempo em que eu me exercitava foi ficando mais gostoso, mais animado, e eu fui estendendo a quantidade de tempo, a intensidade da carga da bike, o ritmo do pedal e até comecei a ficar feliz ao começar o exercício.

Academia em casa

No primeiro mês, eu pedalei na bicicleta ergométrica, alonguei e fiz alguns ásanas de yoga, tudo em casa mesmo. Em algumas poucas vezes, caminhei na praia com o Pedro, meu marido. Quando pedalava, via televisão ou ouvia música. Normalmente, o exercício era mais intenso quando eu ouvia música, pois com a televisão não me concentro totalmente no que estou fazendo.

O horário era bem maluco e essa é uma das vantagens de ter uma academia em casa: não tem desculpa. Não importa a hora, não importa o clima lá fora, é só sentar na bike e pedalar. Você não precisa se preocupar nem mesmo com o que está vestindo. Isso simplifica bastante a vida de quem quer começar, embora depois de um tempo comece a ficar meio solitário.

Mas só ter os aparelhos não adianta. A bicicleta foi dada de presente pelo Pedro em novembro de 2013 – eu estava querendo uma desde junho – mas só em fevereiro de 2014 eu consegui fazer o exercício com regularidade. Levantar e fazer é fundamental!

Variando o treino

Academia Lia & Pedro

Nossa pequena academia doméstica tem uma bicicleta ergométrica, um mini trampolim, uma bola suíça, uma bola de 8kg, alguns elásticos, corda de pular e colchonetes.

Assim que me animei com a academia em casa, comprei um mini trampolim, pois lembrava com saudade das aulas de jump da minha querida professora Andressa Miranda, da época em que eu frequentava a Bodytech. Jump era uma das atividades que mais aumentava minha frequência cardíaca, então achei que seria uma boa opção para alternar com a bike.

No trampolim, faço as minhas próprias coreografias com os movimentos do jump que eu ainda lembro das aulas da Andressa. Coloco uma música bem animada, com o ritmo adequado, e viajo nos movimentos. Infelizmente, como ainda estou bem fora de forma, não consigo fazer por muito tempo e tenho que alternar com a bike.

O trampolim foi fundamental para trazer variedade de movimento ao meu dia a dia. Imagino que se apenas pedalasse, talvez já estivesse entediada. Com os dois aparelhos, eu consigo bolar treinos variados e divertidos. Até mesmo quando só pedalo, programo treinos diferentes para cada dia: um dia intervalado intensivo, outro dia progressivo etc.

Alongamento, Pilates & Yoga

Depois do exercício aeróbio, que para mim é o mais importante no momento, eu fazia alongamento e Yoga. Aos poucos fui acrescentando alguns exercícios do pilates para fortalecer o tronco e outros que o meu fisioterapeuta havia ensinado e eu não estava fazendo.

Essa é a parte que eu nunca deixo de fazer, pois eu AMO alongar e praticar ásanas. Na primeira fase do Projeto Lia Caldas 4.0, eu fiz pelo menos 20 minutos por dia, mas às vezes chegava a uma hora de prática. Essa parte eu faço em pé, no colchonete, no mat de yoga, com uma bola suíça ou com elásticos.

Lia alongando em Angra

Alongamento é a minha parte favorita :-)

Tento variar os exercícios de acordo com o que eu sinto que o meu corpo precisa no dia. No início, minha flexibilidade que sempre foi boa estava visivelmente encurtada, mas com paciência eu fui ganhando mais amplitude a cada dia.

Abdominal na lancha

Neste dia eu estava inspirada. Aproveitei a instabilidade da lancha em movimento para fazer exercícios para fortalecer o tronco. Veja neste vídeo como eu estava animada

E fui me sentindo tão bem que até ganhei confiança para voltar a fazer a invertida sobre a cabeça, ásana que eu não tentava há vários anos, com medo de o meu peso machucar o pescoço. Consegui fazer e repetir em outros dias, mas procuro não abusar.

Nas últimas semanas, também acrescentei alguns minutos de meditação após a pratica, pois sinto que o meu corpo está pedindo por isso. Tem sido muito bom ver a evolução do meu contato com meu próprio corpo e perceber o que ele mesmo me indica como caminho.

E a alimentação?

A parte da alimentação desta primeira fase vai estar em um post separado, que em breve publico e coloco o link aqui. Em resumo, a alimentação seguiu os mesmos princípios da atividade física: devagar e sempre, deixando as mudanças entrarem na minha vida de forma suave e definitiva.

Fase 2 do Projeto Lia Caldas 4.0

Para a fase 2 estou planejando algo mais intenso e com metas. Em termos de perda de peso, eu eliminei 7,5 kg nessa primeira fase, como anunciei nesse post aqui: Um quarto da meta atingido hoje! Para a segunda fase, acho que podemos pensar em uma meta igual ou maior.

Publicarei um post só sobre isso em breve. Não percam! ;-)

Até a próxima e mantenha o pique!

Acompanhe-me nas redes sociais! Facebook, YouTube, Instagram, Twitter, Google+, Pinterest.

Lia Caldas

Lia é designer, fotógrafa, instrutora de Yoga e está em busca de uma vida mais ativa, mais saudável e mais feliz.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Madá disse:

    Amei Lia, parabéns!
    Baita inspiração :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *